quinta-feira, 2 de março de 2017

OS SEGREDOS PARA ELABORAR UM BOM CONTRATO EM FOTOGRAFIA NEWBORN


A Fotografia Newborn ainda recente no Brasil, está em constante evolução. Como tudo que é novo, muitas vezes nos falta experiência para fazer um Contrato de Prestação de Serviços, que seja abrangente, levando-se em consideração todas as especificidades dessa área tão delicada e peculiar da fotografia. O segredo é informar no contrato, de forma bem clara, tudo que for necessário para garantir a isenção de transtornos futuros com o cliente. Para tal, não pode faltar no seu contrato, cláusulas sobre:

1- Responsabilidade dos pais: É importante que o Contrato explicite, claramente, que os pais têm conhecimento prévio da sua conduta de trabalho e estão em concordância, por isso, se responsabilizam pela participação do bebê no ensaio fotográfico.

2- Adiamento da sessão fotográfica e período para a realização da sessão fotográfica: Deixe claro qual é o período ideal para que o ensaio fotográfico aconteça - nesse caso, o adiamento poderá dificultar a execução do mesmo. Por isso, esclareça quais as únicas condições em que se deve ocorrer o adiamento da sessão fotográfica, como o estado de saúde do bebê, nascimento prematuro, estado de saúde do fotógrafo (casos de suspeita de doenças infecciosas por parte do fotógrafo também devem garantir o adiamento da sessão, em prol da segurança do bebê).

3- Forma de trabalho e isenção de poses específicas:
Informe que é necessário fazer intervalos para amamentação, trocas de fraldas, relaxamento e cuidados com o bebê, dentre outros, deixando claro, que a sessão poderá ser mais longa em função dessas necessidades ou ainda e por isso, que pode haver a necessidade de remarcação. É importante esclarecer, que não é possível garantir poses específicas, uma vez que, a sessão fotográfica deve ser feita respeitando os limites e a tolerância específicos de cada bebê.



4- Nascimento e Estado de saúde do bebê: Deixe explícito no contrato, que os pais devem informar o verdadeiro estado de saúde do bebê e em quantas semanas de gestação ocorreu o nascimento, para que o fotógrafo avalie a possibilidade da realização da sessão fotográfica. Omissões ou inverdades em questionário ou no próprio contrato, ou proibição do pediatra não avisados previamente à data do ensaio fotográfico, isentam o fotógrafo de quaisquer responsabilidades sobre intercorrências, que possam acontecer ao bebê durante ou após a sessão.

5- Normas de conduta na sessão fotográfica: Informe no contrato, que os pais receberam um planejamento para a sessão fotográfica e que estão cientes de sua conduta durante a mesma. Para tal, anexe ao contrato, o planejamento. É importante, que nele seja informado, que é preciso estar ciente de que: os pais devem evitar conversas e ruídos altos, celular deve permanecer desligado ou em modo silencioso, o fotógrafo tem autonomia para a escolha dos acessórios, andamento e finalização da sessão fotográfica, dentre outros.

Vale lembrar, que cada fotógrafo tem peculiaridades em sua forma de trabalhar e por isso, o seu contrato deve ser elaborado, exclusivamente, para ele, atendendo às suas exigências específicas. Não se esqueça, que um contrato bem elaborado é a chave para se evitar conflitos e você estará mais seguro para executar sua função com a garantia que foi ético e transparente com o seu cliente.

Sugerimos ainda, que você solicite apoio de um advogado na elaboração de seus contratos, uma vez que são eles, os profissionais habilitados para isso.

Março . 2017

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA MONTAR SEU ESTÚDIO NEWBORN

O Estúdio Newborn deve ser um espaço bem adaptado para garantir uma sessão fotográfica organizada, segura e de qualidade. É necessário ficar atento aos detalhes, que farão toda a diferença no resultado do trabalho do fotógrafo. Para tal, veja o que é essencial na hora de montar o seu.

Iluminação



Há várias formas de trabalhar com iluminação em estúdio - ela pode ser natural, artificial contínua, flash, painel de led etc. Cada fotógrafo tem o seu tipo de iluminação preferida e isso determinará sua escolha do local para montar o estúdio. Se a preferência é por luz natural, o estúdio tem que ter uma fonte de luz adequada - a orientação espacial da entrada de luz é importante e deve ser, preferencialmente, voltada para o Norte, uma vez que essa orientação oferece maior luminosidade ao longo do dia.
Se a janela for voltada para o leste, a luz será maior pela manhã; se for por o oeste, a melhor condição de luz será durante a tarde.
Se a opção do fotógrafo é por iluminação artificial, a preocupação deve ser sobre que equipamentos adquirir, para obter a iluminação ideal. Em fotografia newborn, há diversas opções, que oferecem uma iluminação bonita e difusa. Contudo, é preciso ficar atento à intensidade e à distância da luz até o cenário, além do ângulo de incidência da luz sobre o alvo da foto, pois isso poderá resultar numa foto “chapada”, ou melhor, sem equilíbrio entre sombra e luz. Fique atento!

Decoração



A decoração do estúdio é fundamental, pois fará com que o ambiente se torne aconchegante para o cliente e o bebê. Entretanto, não deve ser o elemento principal a se preocupar. Há questões mais importantes: Luz, espaço, praticidade e localização (a fim de facilitar o acesso para o cliente). Ao decorar o estúdio lembre-se que "menos é mais", ou seja, deixe o ambiente clean, claro e mais espaçoso possível, para torná-lo agradável e um espaço prático para o trabalho. Não é necessário que seja grande e sim, organizado.

Organização dos acessórios



É importante, que o estúdio seja adaptado para garantir praticidade ao trabalho. Pense bem nos locais adequados para guardar os acessórios, que facilitem o acesso rápido desses, na hora do ensaio. Prateleiras ou armários são ideais para guardarem acessórios e props, mas pense na altura ideal, evitando que você precise subir em escadas ou bancos para alcançá-los. Tenha um local bem próximo ao cenário, sem obstruir a passagem, para colocar o álcool em gel (que deve estar à mão durante todo o ensaio) e o termômetro, que deve estar num local bem visível e próximo do bebê.



Qualidade dos acessórios e não quantidade



É natural, que ao iniciarmos nessa área da fotografia, tenhamos o desejo de adquirir todo e qualquer tipo de acessório. Fique atento! É preciso comprar o que realmente será útil e, para tal, é essencial estudar composição, esquemas de cores e tamanho dos acessórios para o bebê. Cuidado para não comprar itens desnecessários, desproporcionais ou exagerados. A qualidade dos acessórios é fundamental para a beleza da composição - fique atento também com aos detalhes, pois eles trarão o diferencial à sua fotografia.

Lembre-se disso e foque em seu sucesso!

Por Ana Mendes
Studio3 Escola de Fotografia Sesiminas
Fevereiro . 2017

domingo, 15 de janeiro de 2017

5 DICAS PARA UM ENSAIO SEGURO DE NEWBORN

Belo Horizonte agora conta com os mais completos CURSOS DE FOTOGRAFIA NEWBORN de Minas Gerais!
Está aberta a temporada de matrículas para o Curso Completo de Fotografia Newborn da Studio3 Escola de Fotografia Sesiminas!

Vamos iniciar o ano letivo cheios de energia e novidades ,  entre elas, a implantação do Núcleo de Fotografia Newborn, dedicado exclusivamente, a essa área deliciosa da fotografia!

O Núcleo de Fotografia Newborn foi planejado durante um bom tempo e agora, torna-se realidade – estamos prontos para atender os fotógrafos mais exigentes, preparando-os integralmente, para atuarem como profissionais técnica e esteticamente capacitados e mais, com segurança!

Para isso, se junta a nós a fotógrafa Ana Mendes – mais uma estrela para brilhar no nosso universo!
Ana é fotógrafa há 13 anos e especializada em Fotografia Newborn, membro da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos, tendo feito vários cursos de aperfeiçoamento na área, com profissionais de destaque e é quem assina o artigo de hoje.
É também graduada em Biologia pela PUC-MG e Mestre em Patologia Geral, pela UFMG, com ênfase em Toxicologia Neonatal.

Você, que quer se especializar, venha aprender conosco!

E para esquentar os motores, veja as dicas da Ana:

5 DICAS PARA UM ENSAIO SEGURO DE NEWBORN 

A fotografia newborn tem como finalidade registrar o recém-nascido com todas as suas peculiaridades. Após nascer, em poucos dias, o bebê se modificará em adaptação ao novo ambiente que lhe abriga. Trata-se portanto de uma fase efêmera e, por isso, é tão importante eternizá-la. Contudo, é válido lembrar que o recém-nascido tem suas fragilidades e é preciso ficar atento para garantir uma sessão fotográfica segura, acima de tudo. Não basta saber fotografar e/ou gostar de bebês, é necessário ir além, conhecer o recém-nascido e suas especificidades. Para tal, listei 5 dicas importantes para garantir um ensaio newborn seguro. Fique ligado! 

1- Qualifique-se: Não basta ter “facilidade” no trato com os bebês, é preciso ter conteúdo e prática. O aperfeiçoamento deve ser contínuo, invista em cursos, participe de eventos da área, busque informações verdadeiras (certifique-se que tem fontes sérias e seguras, filtre apenas o que for contribuir para um trabalho ético), pratique com quem tem mais experiência. Lembre-se que a teoria deve sempre anteceder a prática. Deixe para praticar quando já tiver conteúdo suficiente para lhe dar segurança de saber agir mesmo em situações especiais e adversas. Informação é tudo!



2- Planeje a sessão fotográfica com os pais do bebê: Para garantir um ensaio tranquilo e organizado é necessário planejamento com antecedência. Antes de fechar contrato com o cliente, informe-o como é um ensaio newborn e detalhe como será a sessão fotográfica, de maneira clara e objetiva, inclusive listando quais são as suas normas e condições de trabalho. Isso evitará que no dia da sessão fotográfica, os pais possam estranhar ou reprovar sua maneira de trabalhar, o que pode gerar conflitos desnecessários e comprometer a segurança e a qualidade do ensaio. Nunca tente convencer um cliente a fazer o ensaio newborn do seu filho se ele não aprova ou não gosta desse estilo de fotografia.


3- Seja ético, segurança em primeiro lugar: a ética abriga em si valores morais, princípios fundamentados num trabalho que prioriza sempre a segurança, antes mesmo de se pensar em questões lucrativas. Nesse contexto, adie ou cancele a sessão fotográfica: se sentir que você está indisposto ou doente, se os pais estiverem inseguros ou não estiverem de acordo com as suas condições de trabalho, se o bebê apresentar alguma alteração em seu estado de saúde, se houver alguma intercorrência ou ainda se você não tiver a aprovação do pediatra para fazer a sessão fotográfica. Como a segurança do bebê é prioridade, você não deve se esquecer também de criar um ambiente seguro e confortável para o recém-nascido (temperatura, umidade, higienização, acessórios e props adequados).


4- Antes de começar a sessão fotográfica, observe o bebê: enquanto você prepara o recém-nascido para iniciar a sessão fotográfica verifique se ele tem alguma lesão aparente. Em seguida, mostre aos pais e assine com eles um termo de conferência do recém-nascido. Isso garantirá que você tenha um documento em que os pais confirmam que o bebê já apresentava aquela lesão ou marca antes da sessão fotográfica. É comum o bebê chegar ao estúdio com pequenos arranhões, manchas arroxeadas etc e é preciso que você esteja atento para saber detectá-los e mostrar aos pais, pois, dessa maneira, você se certificará que esses detalhes foram vistos antes do ensaio começar, caso contrário, os pais poderão pensar que a lesão foi causada durante a sessão fotográfica.


5- Entenda como cada pose deve ser feita: Não basta ver como outro profissional coloca o bebê em determinada pose, é preciso que você conheça as fragilidades do recém-nascido para entender que cada pose deve ser feita de forma específica, ou seja, com o apoio adequado para certas estruturas do bebê, manipulando o bebê adequadamente ou evitando o aquecimento, resfriamento ou refluxos. Conhecer a anatomia e a fisiologia do recém-nascido garantirá que você faça as poses com segurança e permitirá que você vá além, ou seja, que você também possa criar poses inéditas, sem colocar o bebê em risco.


Veja o programa completo e todas as informações clicando aqui!

Belo Horizonte . Janeiro de 2017

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

DICAS DE DIREÇÃO PARA FOTOGRAFIA SENSUAL FEMININA

Amor by Taustin

Um dos maiores desafios dos fotógrafos de sensual feminino é a direção das mulheres, que não são modelos profissionais - seja por constrangimento do próprio fotógrafo e da fotografada ou por dúvidas sobre as melhores poses.

Duas atitudes podem melhorar, significativamente, seus resultados:

. Dedicar um bom tempo para conhecer e ganhar a confiança da mulher, que vai posar para você, através de conversas descontraídas.
. Estudar um pouco de anatomia e linguagem corporal.

Lembre-se que, se ela está diante de você para uma seção de Fotografia Sensual, já mostra uma grande disponibilidade, o que é um facilitador.
De qualquer forma, as mulheres que não são modelos profissionais e têm pouca intimidade com a câmera fotográfica, carregam consigo o receio da exposição de sua intimidade, de serem julgadas durante a seção e de não saberem posar - tudo isso ligado a padrões sócio-culturais.
A atitude positiva do fotógrafo é essencial para criar um clima favorável, conseguindo assim, fotos fabulosas, que traduzam a essência feminina.

Na Fotografia Sensual Feminina, as poses devem parecer espontâneas e transmitir o apelo sensual, que cada uma traz dentro de si, de forma individual - trabalhar sempre com as mesmas poses, para todas as mulheres, não trará bons resultados no balanço final de sua carreira.
Mas existem determinados princípios e métodos clássicos, que podem ser usados para todas, com as devidas adaptações.
Erros na direção e na forma como a mulher posiciona seu próprio corpo alteram radicalmente, a forma como como ele é percebido.
Alguns truques podem fazer uma grande diferença para mulheres com seios pequenos ou alguém que se considera acima do peso ideal.

O Olhar

Jennifer Gillan

Em fotografia, os olhos são o ponto vital da imagem.
Eles estabelecem a comunicação com o espectador, constroem a atmosfera desejada, revelam caráter ou criam tensão - são eles que propiciam, literalmente, o fluxo da fotografia.
Conferem ainda, à foto senso de poder, intensidade, intimidade e sensualidade.
Defina a atmosfera que você quer criar e oriente sua modelo a respeito do olhar.

Para que ela entenda exatamente o que você quer, tenha uma direção clara, objetiva.
Nunca diga - olhe para a esquerda!
Naturalmente, sua modelo vai girar a cabeça para a esquerda e não só, o olhar - peça a ela, que olhe para a ponta do seu dedo indicador e vá movimentando-o até que o olhar esteja como você deseja.

Quando estou dirigindo uma seção sensual, converso o tempo todo com minhas modelos, para estimulá-las e provocar emoções - fatalmente, os olhares transmitirão seus pensamentos. E fotografo enquanto conversamos. Desses momentos saem fotografias super espontâneas e expressivas.

Uso alguns truques ,que têm sido eficazes para mim:

. Especialmente, quando a modelo se sente constrangida - peço a ela, que pense em alguém, para quem ela quer mandar um "recado" e que use a câmera para isso. Nesse momento, ela olhará diretamente para a câmera com um olhar especial. O resultado é surpreendente!
. Olhar por cima dos ombros - peço à modelo, que posicione a cabeça de lado, de forma que o queixo fique alinhado com o ombro, e que direcione o olhar, levemente, para trás ou para baixo.

Columbus Boudoir

. Olhar dirigido para a fonte de luz - peço à modelo, que olhe para a fonte de luz. O olhar ganha mais destaque.
. "Olhe para baixo e olhe para mim" - peço à ela, que com um movimento sutil de cabeça, olhe para baixo e imediatamente ao meu comando, olhe para mim. Fotografo durante todo o movimento.
. Olhos fechados - peço a ela que feche seus olhos e pense em algo agradável, com a cabeça, levemente inclinada. Ela vai sorrir e entregar uma expressão magnífica.
. Olhe para seu corpo - peço que ela olhe para a parte de seu corpo que mais admira.

Cuide para que em seu enquadramento, os olhos não pareçam desalinhados e que não haja excesso da parte branca.

Muito mais que a pose, o olhar é o responsável pela transmissão da sensualidade.
Fique atento!

A Postura

Lezandra Photography

Nenhum corpo, por mais escultural que seja, é percebido de forma agradável, se a postura não estiver correta.
E os que suas donas consideram fora dos padrões estéticos, tornam-se lindos se a postura estiver ereta, a coluna encaixada e os membros bem posicionados.
Aqui você terá vantagens, se conhecer um mínimo sobre linguagem corporal - uma postura mal colocada transmite mensagens erradas.
Dessa forma, o fotógrafo deve dirigir sua modelo para que ela extraia de seu próprio corpo, o melhor!
Peça à sua modelo que:
. Se mantenha ereta, com a coluna encaixada, abrindo o tórax, levando os ombros para trás e para baixo, relaxando os braços.
. Erga a cabeça, alongando o pescoço.
. Sem juntar o queixo com o pescoço, incline a cabeça, levemente, para baixo.
. Contraia o abdome.

Lembre-se que no decorrer da seção, sua modelo vai relaxar e "perder" a postura.
É sua responsabilidade chamá-la de volta.


Onde você quer que eu ponha as mãos?

Hampton Roads Boudoir Photography

Essa é uma das primeiras perguntas, que todas as modelos fazem aos fotógrafos - as mãos e os braços parecem não fazer parte do corpo!
Além disso, se mal posicionadas, ficam deformadas na fotografia.

. É fundamental ter em mente, que o ponto onde as mãos da modelo estiverem colocadas, será um centro de atenção da imagem e o espectador, certamente, será atraído por ele.
Portanto, dirija escolhendo muito bem - evite os pontos fracos e valorize os fortes.

. Uma regra básica para posicionar as mãos é ter certeza de que elas nunca estejam num mesmo nível na foto, pois o espaço entre as duas é percebido como uma linha imaginária.

. Se as mãos estão em níveis diferentes, essa linha será diagonal, muito mais interessante e dinâmica, que a linha horizontal.

. As mãos são mais agradáveis na fotografia, se vistas de perfil. 
A palma ou o dorso das mãos são bastante largas e captam muita atenção – geralmente, desviam a atenção do espectador, que deveria estar voltada para o todo ou uma outra parte do corpo. Além disso, a idade tende a ser mais visível no dorso das mãos.

. Quando fotografamos num ambiente quente, as veias no dorso das mãos podem se projetar de uma forma, visualmente, desagradável. Tenham sempre uma toalhinha úmida e gelada por perto, caso haja necessidade de uma compressa.

. Os dedos devem estar, levemente, separados e curvados.
Dedos estendidos e abertos criam muitas linhas imaginárias na mente do espectador.
Não é aconselhável cortar ou esconder os dedos – quando isso acontece, a mão parece amputada.

. As mãos devem ainda, manter uma mesma distância da câmera, assim como o corpo –projetá-las na direção da câmera fará com que pareçam muito grandes em relação ao corpo. Lembre-se que tudo que estiver, um mínimo que seja, mais próximo da lente, terá seu tamanho aumentado na fotografia.

. Quando a mão é fotografada com os dedos abertos ou está cerrada, tende a parecer dura e masculina.
Uma pose mais feminina tem a mão delicadamente, curvada.

. Quando as mãos tocam o rosto ou qualquer outra parte do corpo, é importante que a modelo não o apoie na mão - devemos evitar pressão, para que ela não franza a pele.

. Quando as mãos estiverem na cintura, a regra geral é: esconda o polegar e mostre os outros dedos.
Nessa pose, os pulsos estarão geralmente, dobrados - o fotógrafo deve se assegurar de que não estejam curvados em direção à câmera e sim, dobrados para baixo (a mão deve estar, levemente, erguida) e/ou afastados da câmera. Fique atento aos dedos abertos em uma pose como essa, pois eles podem criar uma distração significativa.

. Peça a sua modelo que toque seu próprio corpo - ela pode tocar apenas, com a ponta dos dedos, num movimento delicado ou com a palma da mão, de forma mais "agressiva". O tipo de toque ajudará a definir a atmosfera da imagem.

Lezandra Photography

. Sugira que ela passe as mãos pelo seu próprio corpo, em movimentos alternados, se acariciando - fotografe continuamente.

E para fechar, a última dica:

Observe a iluminação com cuidado - uma luz mal feita pode destruir qualquer mulher.
Por outro lado, uma luz natural bem aproveitada ou a luz fotográfica bem escolhida e posicionada, realça as qualidades e faz os "defeitos" desaparecerem.

Observação: normalmente, ilustro minhas matérias a respeito de Fotografia Sensual Feminina, com fotos publicadas por outros fotógrafos ou modelos profissionais, que posaram para mim. Resguardo a privacidade e a imagem de minhas clientes.

Janeiro . 2017


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

O QUE FAZER PARA MELHORAR A LUZ DO FLASH?

APRENDA A USAR OS MODIFICADORES


Quando adquirimos um flash externo, esperamos que ele seja a solução de nossos problemas, quando fotografamos em situações de luz deficiente - até porque ele tem aparência sofisticada e preço bastante salgado!
Mas não é isso que acontece.
Ele contraria todas as regras da boa iluminação: é uma fonte de luz reduzida, intensa e se utilizada na sapata da câmera à 90 graus, voltada diretamente para a cena, produz uma luz crua, dura, provocando brilhos excessivos, sombras duras, destruindo volumes e produzindo uma imagem desagradável e artificial.

De qualquer forma, o flash externo continua a ser o sistema de iluminação artificial mais evoluído e prático que existe.

A solução é "domar" sua luz, modificando-a.

Modificar a luz, utilizando acessórios tem três finalidades:
. Aumentar o tamanho do facho luminoso do flash
. Alterar a temperatura de cor de sua luz
. Conferir um formato específico ao facho de luz

Precisamos considerar a Física - se uma fonte de luz é pequena em relação à cena que ela vai iluminar, os raios luminosos serão direcionados - todos - para uma mesma área e num único ângulo, atingindo-a diretamente e provocando sombras duras.
Se, de outra forma, a fonte de luz é ampla em relação à cena, os raios luminosos virão de diferentes direções, proporcionando uma iluminação suave, sombras difusas e uma iluminação mais agradável.

Para que tenhamos uma iluminação mais natural, é preciso equilibrar a luz do flash com a luz ambiente, tanto em qualidade, quanto em cor - você pode utilizar gelatinas para modificar a temperatura de cor e obter efeitos diferentes.

Os Modificadores


Do Próprio Flash

Cabeça Giratória




















A cabeça giratória do flash externo permite que você a incline e gire em quase todas as direções, independentemente, da posição da câmera. Desta forma, você pode rebater a luz sobre uma superfície disponível e adequada - paredes, tetos, etc - "aumentando assim, o tamanho do facho de luz, suavizando-o.
Verifique a cor e a distância da superfície rebatedora - nem sempre encontramos uma, que seja ideal.

Zoom do Flash




















Você pode controlar o zoom manualmente, na própria unidade de Flash:
Se a intenção é obter uma área estreita de luz, você deve ajustar o zoom para o máximo de distância focal - 105 mm.
Se a intenção é obter uma área ampla de luz, você deve ajustar o zoom para o mínimo de distância focal - 24 mm.

Difusor Grande Angular e Mini Refletor




















A função do difusor retrátil e transparente, que fica embutido na cabeça do flash é difundir a luz de forma que ela cubra uma cena num ângulo de visão de uma objetiva 14 mm.
Assim, se você estiver fotografando com o zoom numa distância focal diferente, ao acionar o difusor, ele será configurado, automaticamente, para 14 mm.

A função do mini refletor branco, que fica também embutido na cabeça do flash, é jogar um pouco de luz para frente, quando se rebate para cima. Como ele tem tamanho muito reduzido, não tem boa aplicação, a não ser iluminar um pouco os olhos, quando a cena inclui pessoas.

Modificadores Externos

Omni Bounce

A função do Omni Bounce é reorganizar o facho luminoso, fazendo com que ele não seja direcionado apenas para frente, mas também, para os lados, suavizando um pouco a luz. É barato e versátil. Como é fabricado para cada tamanho específico de cabeça de flash, convém verificar na descrição do produto, se ele é adequado a seu modelo.

Rebatedores Flexíveis

São extremamente úteis quando não temos uma parede ou teto adequados para rebater a luz do flash, como em áreas abertas.
Como espalham a luz, aumentando o tamanho do facho luminoso que chega à cena, tornam-na mais delicada, suave.
São encontrados em vários modelos, cores e tamanhos - quanto maior e mais versátil em sua moldagem, melhor, pois o facho que luz será mais ampliado, proporcionando sombras mais difusas.
Os que possuem interior metálico - prata ou ouro - costumam fornecer luz menos suave, quando comparados aos forrados de branco, pois direcionam maior quantidade de luz para frente, além de proporcionarem maior contraste.
Se tiverem tamanho reduzido, podem causar um efeito semelhante ao do flash embutido da câmera.





















Softboxes

Os softboxes são os favoritos quando se trata de moldar e suavizar a luz do flash - em vários formatos, tamanhos e por filtrarem duplamente a luz, proporcionam sombras bastante delicadas, fazendo com que a iluminação pareça mais natural.
Os que possuem face rebaixada criam um limite definido para a luz, muito útil na difusão e na modelagem do formato do facho luminoso.
Os de formato circular proporcionam belos reflexos nos olhos das pessoas..

Lembre-se de avaliar o tamanho do softbox em relação à cena, que vai iluminar, para definir a que distância ele deve estar - quanto mais distante ele estiver, menor será e mais dura será a luz.

Como o flash, em sua função primária, é uma fonte de iluminação portátil, verifique o peso e a facilidade de transporte do softbox - o conjunto pode ser usado sobre um tripé, mas também, nas mãos durante um evento.





































Na próxima postagem, continuaremos a analisar os modificadores para flash externo.

Novembro . 2016

terça-feira, 22 de novembro de 2016

COMO CRIAR SEUS PRÓPRIOS PRESETS PARA O LIGHTROOM

As pré-definições do Lightroom - ou Presets, em inglês - são arquivos que "memorizam" uma sequência de tratamentos ou ajustes criados anteriormente (exposição, temperatura de cor, saturação, vibração, nitidez, redução de ruído, etc) e podem ser aplicados, de forma automática, em qualquer fotografia importada para o LR.

A função primária das pré-definições é automatizar o tratamento e otimizar o tempo do fotógrafo na pós produção.

O próprio Lightroom já disponibiliza alguns, quando da sua instalação, mas podemos comprá-los de desenvolvedores, baixá-los gratuitamente em sites ou mesmo criá-los, a partir de algum tratamento que tenham feito e aprovado.

Vejamos como criar uma pré-definição:

01. Importe a foto que você deseja tratar para o Lightroom. Selecione o Módulo Revelação e faça os ajustes até que ela esteja de acordo com seu objetivo.


02. Faça os ajustes, utilizando o painel direito do Módulo Revelação.


03. Para transformar o efeito obtido numa pré-definição e deixa-la disponível para ser aplicada em outras fotos, vá até o painel pré-definições à esquerda e clique no sinal de soma (+), no canto direito – será aberta uma janela de configuração:


04. Na janela de configurações, nomeie sua Pré-definição, escolha a pasta do Lightroom onde ela deve será guardada e marque as caixas de efeitos, que foram aplicados e clique no botão “Criar”. A nova pré-definição deverá estar disponível para aplicação em outras fotografias, na pasta que você escolheu para salvá-lo.


05. Aqui, a nova pré-definição disponível:



06. Agora, a pré-definição pode ser aplicada em qualquer foto.



Lembre-se, que ela foi criada e os ajustes ficaram adequados para uma determinada imagem, em condições de luz específicas, assim como as de cores.
Para aplicação em outra imagem, frequentemente, precisamos fazer adaptações, alterando os ajustes anteriores.

Novembro . 2016

domingo, 9 de outubro de 2016

A COMPOSIÇÃO PARA OS MELHORES RETRATOS

Retratos são narrativas sobre o retratado e costumam manter o foco no próprio sujeito, mas isso não quer dizer, que devemos dispensar outros elementos da cena.
Pelo contrário, incluir outras informações visuais de forma equilibrada, enriquece a fotografia, dizendo muito sobre o modelo.
Além disso, o fotógrafo conta com outra arma poderosa para criar uma imagem interessante e agradável - a composição, que está intimamente, relacionada com a direção.
O fluxo num retrato pode, por exemplo, ser criado através do posicionamento sutil das mãos, que levarão o olhar do espectador, ao centro de interesse da foto, que no caso dos retratos, tende a ser o rosto.


 

Da mesma maneira, em retratos com tomadas mais amplas, o corpo e os outros elementos de cena devem ser cuidadosamente colocados, de forma a guiar o olhar do espectador pela imagem - isso afeta não só o equilíbrio visual, mas também a atmosfera da fotografia.
Para melhor dirigir as pessoas nas sessões fotográficas, entender a linguagem corporal como uma forma de comunicação não-verbal é de grande utilidade.
A pose do modelo tem enorme influência na forma como o espectador percebe o retrato - mãos e braços muito próximos ao corpo, quando analisados em conjunto com outros elementos, transmitem a impressão se tensão.
Veja aqui um breve texto a respeito na Wikipédia!

O ângulo de tomada - altura da câmera em relação ao retratado - também interferirá na interpretação do retrato - quando realizamos o enquadramento de baixo para cima (contra mergulho), ampliamos a importância do modelo dentro do quadro e transmitimos a impressão de "grandeza", de "domínio".
Esse ângulo de enquadramento em especial, provoca distorções desagradáveis na figura e por isso, deve ser aplicado com muito cuidado.

De outra forma, quando enquadramos - ligeiramente - de cima para baixo (mergulho), valorizamos o rosto, os olhos e aproveitamos melhor a iluminação.
No caso de retratos, o mergulho deve ser usado com cuidado, a fim de não transmitir sensação de "fraqueza" e "submissão" do sujeito, muito comum, quando há exagero.
 
Para que não haja distorção, o eixo da objetiva - que deve ter uma distância focal média entre 70 e 100 mm - precisa estar alinhado com os olhos do sujeito.
Outra boa prática para se obter retratos interessantes e dinâmicos é a aplicação da regra dos triângulos, idealizada para que uma composição onde prevalecem direções diagonais, se torne equilibrada e agradável.
A Regra dos Triângulos criada pelos gregos, estabelece que deve-se dividir o quadro com uma linha diagonal de um dos cantos superiores ao oposto inferior, formando assim, dois triângulos retângulos.
De cada um, deve-se encontrar a altura relativa à hipotenusa (lado maior) - os pontos onde as retas, que representam as alturas de cada um dos triângulos, tocam a diagonal inicial representam os pontos de interesse da composição.
O ideal então, é enquadrar de forma que as áreas mais interessantes do retrato coincidam com os pontos de interesse.


O essencial - regras existem para serem desafiadas e antes de qualquer boa composição é preciso, que o retrato carregue a alma do retratado e que consiga transmiti-la ao espectador.

Andreia Bueno . Outubro . 2016
Studio3 Escola de Fotografia